Suplementos – O que são? Atente-se para o seu uso no ambiente esportivo!

Atividade física, nutrição balanceada, suplementos naturais e muita dedicação.Em meio ao polêmico do caso de doping do atleta Anderson Silva, sempre vem à tona à mídia questionamentos do uso indiscriminado de substâncias proibidas no esporte! Eu como nutri em esportes, tenho competência técnica apenas para prescrição de suplementos nutricionais! Dei uma entrevista à Radio UFMG esta semana (07/01/2015) sobre o consumo destes produtos no ambiente esportivo (ouça abaixo no link). Já considero este um assunto de saúde pública, tamanho o consumo indiscriminado e desconhecimento dos usuários e não usuários sobre o uso dos mesmos! Estou há alguns anos estudando sobre o assunto (inclusive assunto da minha dissertação do mestrado disponível em meu site), e em vésperas de carnaval, onde grande parte dos praticantes de academia consumiram estes produtos com intenção de melhorar sua estética e/ou rendimento, achei pertinente discorrer um pouco mais sobre o assunto aqui. O que são? Vale a pena? Qual escolher? Oferecem riscos ou benefícios?

A origem do uso de suplementos ocorreu na Antiguidade e baseava-se no comportamento supersticioso dos atletas e soldados que eram orientados a consumir partes específicas de animais, de forma a obter bravura, habilidade, velocidade ou força, características desses animais. A dieta dos atletas Gregos e Romanos era basicamente vegetariana, contendo vegetais, legumes, frutas, cereais e vinho diluído em água. Impossível identificar quando a carne passou a ser o maior componente da dieta dos atletas. Porém, há relatos de Milo de Cróton, renomado e vitorioso lutador grego, consumir até 9kg de carne, 9kg de pão e 8,5L de vinho no dia da Olimpíada! Os gregos iniciaram a era da alimentação rica em carne animal em vez da dieta lacto-ovívora para atletas de elite! Desde então, o Homem empenhou-se em melhorar o desempenho esportivo por meio de alterações dietéticas (a especificidade da área de nutrição esportiva é muito recente, ganhando força a partir da década de 90 com este nome). Comercialmente os suplementos são apresentados em pílulas, pó e bebidas, mas inexiste uma classificação dos suplementos esportivos que seja adotada de modo unânime entre os diversos pesquisadores! A grande quantidade de produtos é certamente um fator que dificulta o entendimento sobre o uso. Uma forma de diminuir a confusão é entender a legislação vigente em cada país e, avaliar as características e os fatores associados ao consumo desses produtos. No Brasil, a ANVISA, categoriza (RDC18/2010) os suplementos em hidroeletrolíticos, energéticos, proteicos para atletas; suplemento para substituição parcial de refeições de atletas; suplemento de creatina e cafeína para atletas. A legislação americana e em outros países é diferente! Então o profissional que os prescreve aqui tem que ter claro conhecimento das mesmas e acima de tudo da composição e funcionalidade a que se destina os mesmos! Ao consumidor, caberá utilizar sob prescrição orientada, individualizada e exclusiva de um nutricionista ou medico do esporte, e as reais necessidades do uso do produto em questão. Um bom profissional, saberá fazer esta prescrição porque levará em conta para sua prescrição (individualizada) o treino ou calendário de competições, objetivos pessoais e da equipe técnica, condições de saúde atuais, dieta e composição corporal! A mudança concomitante de treino, dieta e suplementos poderá prejudicar muitas vezes o objetivo porque não se saberá quem estará influenciando a resposta a que se deseja; engana-se aquele que acha que suplementos sempre fazem mal! Um whey protein (proteína do soro do leite), um dos mais consumidos suplementos por praticantes de academia jamais poderá sobrecarregar mais o organismo de um individuo que bebe por horas, come carne vermelha com muita gordura visível ou excesso de doces em seu dia! Quantas pessoas estão a cometer esses inadequados hábitos alimentares sem mesmo tomar qualquer suplemento e o pior estão sedentárias por anos! Quer mal pior que este ao nosso corpo e saúde? Lamentável aqueles que mencionam suplementos como algo que pode ser apenas prejudicial, porque é uma inverdade. O problema está no uso indiscriminado, aleatório, sem controle, sem motivo, sem conhecimento (tanto por parte de quem usa ou prescreve desta maneira, solta!!! frágil, sem conhecimento!) Há que se estudar!! Faço isso e ainda acho que não sei nada! A indústria é potente, mas não inventa produtos. Como todo comércio terão as mais idôneas (que fabricam produtos muito bons, com nutrientes que realmente condizem com o que foi explícito no rótulo, que tem um fim, objetivo); outras podem sim fazer produtos aos quais sequer tem nutrientes declarados ou são adulterados (fazem mal). Um profissional da área, que estuda o mercado saberá identificar as marcas de qualidade (claro aquele profissional que não se deixar influenciado pelo marketing sedutor, muito cuidado às ofertas da indústria em seu consultório!). Não basta então conhecer os suplementos, há que se conhecer o marketing também. Qual o problema da indústria em vender? Cada qual com suas estratégias de marketing! Ao colocar-se do lado da indústria, do empresário, também quer lucro, porque não? Tudo pode ser aproveitado (por exemplo) das proteínas do leite (soro, caseína, aminoácidos); logo se a indústria tem seus insumos, porque não vendê-los. Caberá ao profissional e consumidor fazer suas escolhas, mais corretas, no momento certo (já pensou nisso?). Se esta consumindo vários potes de suplementos ao mesmo tempo, faça uma reflexão primeiramente se está treinando (digo aqui TREINAR!!! não malhar!!!) suficiente? Se sim, reflita sobre seu habito alimentar? Primeiro a alimentação convencional: tem sua base de alimentos comuns adequada? Ou está a tomar suplementos em maior proporção que alimentos? Não ha problema se optar em ter sua base alimentar por pós ou capsulas, mas dificilmente conseguira manter isso por muito tempo! Porque não conciliar alimentos com suplementos? (um nutri em esportes tem que fazer isso muito bem calculado!). E do que adianta investir num excelente suplemento, mas ficar por horas sem comer no resto do dia, ou comer de maneira desequilibrada? (p.ex.: toma whey apos o treino e come pão de queijo a tarde no escritório? Como assim?) Não tem milagre! O melhor é conciliar sua alimentação, seja ela com alimentos convencionais ou (se inclusa) suplementação estar adequada a sua rotina de vida, rotina de treinos, às suas preferências dietéticas, ao seu bolso para garantir maior tempo de permanência ao tão sonhado estilo de vida saudável> Acho que esse é o caminho para ser mais feliz! No fim das contas é o que buscamos para viver bem, viver em paz com nós mesmos, corpo e saúde !

Sobre Dra. Janaina Goston

Dra. Janaina Goston, especialista em nutrição esportiva - Belo Horizonte Doutora em Saúde Pública (Faculdade Medicina UFMG), Mestre em Ciência de Alimentos (Faculdade Farmácia UFMG), Pós graduada em Fisiologia do Exercício (UVA-RJ)
Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *