Tribulus e a falsa promessa de aumentar testosterona, força e massa muscular

tribulus terrestris

Dra…tem alguma “coisa” “natural” que pode me ajudar a ganhar massa?

Essa pergunta parece inocente mas reflete a supervalorização da suplementação em detrimento do treino regular e alimentação adequada. Buscar algo “natural” pode exercer certo “alívio” na consciência, mas engana-se quem acha que os denominados “naturais” possam ser eficazes de maneira mais amena ou não fazer mal.

O tribulus terrestris é uma erva com supostos efeitos medicinais, dentre eles afrodisíacos, tem sido usada durante séculos na Europa para tratamento da impotência e como estimulante para ajudar a aumentar o impulso e o desempenho sexual. Com isso, tem levado as pessoas a acreditarem que pode aumentar naturalmente os níveis de testosterona do corpo e consequentemente força e massa muscular. Será?

A complexidade de mecanismos para o aumento de massa muscular vão desde ação hormonal nos testículos nos homens, bem como as características genéticas, constitucionais, cronológicas e ambientais (como participação em atividade física, dieta, sono etc) que podem influenciar num resultado individual. Pouco se sabe ainda sobre os mecanismos de ação do tribulus no aumento de testosterona ou ganho de massa. Faltam estudos de qualidade metodológica, a amostra envolve poucos voluntários no estudo e a maioria dos estudos são experimentais (com animais) o que não nos permite extrapolar os resultados em humanos.

Estudos com homens jovens são questionáveis dados que seria pouco provável aumento da testosterona se são saudáveis ou preservam suas funções hormonais normais. Pouco provável de apresentarem melhora do desempenho utilizando tribulus. Talvez em idosos com queda progressiva da testosterona ou nas mulheres? Mas faltam estudos que comprovem alguma evidência. Entre àqueles que estão sob efeito dos esteroides exógenos? Buscam algo “natural” como o tribulus afim de amenizar os efeitos da queda na produção endógena de testosterona consequência do anabolizante. Mas a melhor forma de evitar o hipogonadismo é não usar anabólicos exógenos (hormônios sintéticos).

O uso de tribulus terrestris com objetivo de ganho de massa muscular foi categorizado pela Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva (Kreider et al, 2010) na lista de suplementos aparentemente ineficazes e/ou perigosos, não justificando seu consumo. A comissão esportiva da Austrália (AIS) com base na lista de susbtâncias proibidas pela agência mundial anti-doping (WADA) considera banido o uso do tribulus bem como outros pró-hormônios (DHEA, Maca peruana) e/ou oferecem alto risco de contaminação por hormônios que podem levar atletas ao doping positivo.

Na falta de evidências e segurança o melhor a se fazer é investir no treino regular, supervisionado por um profissional de Educação Física, e manter uma dieta para hipertrofia que envolverá maior consumo calórico que o gasto. Engana-se quem achar que bastam apenas proteínas. A combinação adequada de todos os nutrientes, calorias suficientes  com quantidades e horários sincronizados ao treino influenciarão no melhor resultado. Um bom nutricionista em esportes auxiliará no planejamento alimentar personalizado para este objetivo.

Ouça na íntegra o conteúdo completo sobre este assunto no meu programa Alimentação Saudável na Radio CBN !

Dra. Janaina Goston

Referências:

Pokrywka et al. Insights into Supplements with Tribulus Terrestris used by Athletes. J Hum Kinet. 2014 Jul 8;41:99-105

Guilherme Artioli – Blog Ciência inForma. 14 de setembro de 2015.

THE 2015 PROHIBITED LIST INTERNATIONAL STANDARD – WADA

Kreider et al. ISSN exercise & sport nutrition review. Journal of the International Society of Sports Nutrition 2010, 7:7

 

 

Sobre Dra. Janaina Goston

Dra. Janaina Goston, especialista em nutrição esportiva - Belo Horizonte Doutora em Saúde Pública (Faculdade Medicina UFMG), Mestre em Ciência de Alimentos (Faculdade Farmácia UFMG), Pós graduada em Fisiologia do Exercício (UVA-RJ)
Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *