Tempo de Corona Vírus: Nutrição e Imunidade

Muitos são os questionamentos sobre “informações” divulgadas em nutrição a fim de melhorar o sistema imune (SI) que muitas vezes se tornam desserviço à população.

Atenção:

O SI envolve uma rede complexa e interligada de células, órgãos e tecidos que em visa proteger nosso corpo de infecções;

Mesmo diante de vários fatores impactarem num SI mais eficiente, não sabemos diante de uma adversidade quais e quanto o corpo é capaz de aumenta suas células de defesa para “essa” ou “aquela” infecção. O que sabemos é que o corpo produz continuamente células de defesa e sabe quando e quanto necessitam “entrar e sair de campo”.

A nutrição é um dos fatores que podem modular a eficiência do SI, não de um alimento ou suplemento especifico sendo necessário aliar-se a um conjunto de estratégias (exercícios, sono, controle do estresse, muitas vezes isolar-se para evitar a exposição a outros fatores de risco e proteger os outros)

O que de fato você deve saber e fazer:

  1. Manter a atividade física, mas não em alta intensidade (não é hora de apertar o passo); por ter que reduzir os treinos ou carga de treinos NÃÃÃOOOO é momento para restrições drásticas de calorias e/ou estratégias radicais, pois um dos efeitos agudos é o abalo no seu sistema imune. Desta maneira preocupe-se em ficar em casa, e organizar-se para comer melhor, pois muitas pessoas relatam que não conseguem comer bem porque ficam o dia todo fora, comem em restaurantes, estão em meio a inúmeras ofertas e tentações… não seria então oportuno o momento de ficar em casa e priorizar a alimentação saudável para todos?
  2. Os antioxidantes e componentes anti-inflamatórios estão nos alimentos in natura(que tal aumentar o consumo de frutas, verduras e legumes – meta: 5 ao dia? Pelo menos 3 a 5 cores no prato? Misture texturas diferentes? Um dia com vegetais crus, outro cozidos, com cortes diferentes).
  3. Preserve as calorias por meio do consumo de carboidratos de boa qualidade (os complexos, com fibras e carga glicêmica baixa) e em caso de dúvidas peça ajuda ao seu nutri; não reforce a carbofobia! (isso só aumenta o caos!). Acha mesmo que comer um pão ao dia ou um pouco de arroz ou batata no seu almoço ou jantar vai te prejudicar??? Quantas crenças limitantes a respeito deste ou daquele alimento você precisa quebrar? É hora de rever isso, ou manter-se refém de estratégias muitas vezes apropriadas para uns indivíduos em cenários específicos mas irreais para você e a maioria e muito pouco sustentáveis?
  4. Proteínas completas são essenciais pois constituem células do SI (anticorpos, novas células e tecidos);
  5. O intestino faz parte em sincronia às ações do SI. Acredite que em quarentena (são muitos dias) ao investir em comer melhor, seu intestino é capaz de adaptar-se ao novo cenário rico em vitaminas, minerais, pré e probióticos e te proteger. Probióticos são essenciais (disponíveis em capsulas ou pós), mas acredite que iogurtes e as fibras são excelentes meios de permitir mudanças na sua microbiota intestinal e te tornar mais protegido.
    10) Mais estudos são necessários para “lincar” a Vit. D à melhora do SI, mas é suas funções têm impactos em diversos tecidos (p.ex. ósseo e metabólico); o enclausuramento contribui para menor exposição solar, então podemos manter o consumo de laticínios enriquecidos e o de peixes que além de ricos em vit. D, têm ômega3 (aproveite o fato de estar em casa para preparar alimentos que julgue ser mais difíceis de preparar porque envolve temperar, assar, grelhar ; pode ser que necessário suplementar mas fazemos isso em conjunto com seu médico; o mesmo digo sobre o consumo de vegetais (porque não aproveitar o tempo em casa para fazer uma salada colorida, usar as panelas em vapor que nunca usa, o mix de sucos para as crianças consumirem o “verdinho” junto; envolvam as crianças na culinária! Complexos “multi” servem para fornecer em maior quantidade as vitaminas, minerais e antioxidantes mas deveriam ser usados por quem não come verduras, legumes e frutas e/ou têm deficiência nutricional diagnosticada; o que sabemos é que precisamos manter a ingestão diária desses micronutrientes, mas não temos condições de dizer que precisamos em “megadoses”, porque estabelecer essa conduta envolve conhecer a pessoa e sua história alimentar e de saúde; suplementar sem saber se são necessárias é no mínimo faze “xixi caro” (=desperdiçar) mas exercer sobrecarga desnecessária ao corpo!
  6. Gengibre, açafrão, óleo de alho, caldo de osso, chás, shots de limão etc podem em pouquíssimo estudos sugerir benefícios ao nosso SI; faltam pesquisas que demonstrem fortes evidências para se fazer tais associações.

Fortalecer o seu SI é importante mas se você é saudável não temos garantias que atitudes como as que descrevi te tornarão imunes ao vírus; se quiser comer melhor e intensificar é a hora, mas certifique-se de que não está negligenciando as recomendações sanitárias comprovadas: lavar as mãos e não tocar no rosto quando se quer proteger-se de doenças virais. E ainda… é o isolamento que garante menor risco de exposição ao vírus e aí sim estaremos protegendo os mais vulneráveis: NOSSOS VELHINHOS QUE DIFERENTE DE NÓS NÃO TEM ATITUDES OU ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL, TÊM VACINAS, MAS INUMERAS OUTRAS COMORBIDADES E MENOR EFICIENCIA DO SIST. IMUNOLÓGICO PELA PROPRIA IDADE; UMA VEZ ACOMETIDOS, O RISCO DE RECUPERAÇÃO, A DEPENDER DA INFECÇÃO, SERÁ FATAL!

Publicado por

Dra. Janaina Goston

Dra. Janaina Goston, especialista em nutrição esportiva - Belo Horizonte Doutora em Saúde Pública (Faculdade Medicina UFMG), Mestre em Ciência de Alimentos (Faculdade Farmácia UFMG), Pós graduada em Fisiologia do Exercício (UVA-RJ)